Departamento de Materiais Departamento de Materiais
Núcleo de Materiais Orgânicos
Núcleo de Materiais Orgânicos
Maria Paula Rodrigues
Maria Paula Rodrigues
Chefe de Núcleo / Investigadora Principal

Apresentação

O Núcleo de Materiais Orgânicos (NMO) foi criado em 2002 e resulta da fusão do setor de Materiais e Revestimentos Orgânicos, do Núcleo de Química, com o setor de Materiais Plásticos, do Núcleo de Cerâmica e Plásticos, ambos pertencentes ao então designado Departamento de Materiais de Construção (DMC).
O NMO é um dos quatro núcleos do Departamento de Materiais (DM) e estão-lhe atribuídas competências relacionadas com os seguintes materiais:
Tintas, vernizes e revestimentos orgânicos;
Materiais plásticos e compósitos de matriz polimérica;
Ligantes betuminosos;
Outros materiais de natureza orgânica utilizados na construção.

No âmbito destas competências, a atividade desenvolvida no NMO visa contribuir para a melhoria da qualidade e do desempenho dos materiais e produtos de natureza orgânica usados na construção, cobrindo todo o seu faseamento – desde o seu fabrico, passando pelas etapas construtivas e de aplicação em obra, até às subsequentes fases de manutenção e reparação. Esta atividade é essencialmente desenvolvida nas seguintes vertentes: (i) investigação programada, enquadrada na Estratégia de Investigação e Inovação estabelecida pelo LNEC; (ii) investigação por contrato, solicitada por entidades públicas ou privadas que trabalham no domínio da Engenharia Civil; (iii) atividade de consultoria, como por exemplo, no apoio à seleção de materiais ou produtos para fins específicos ou na avaliação das causas de anomalias; (iv) apoio à indústria da construção, designadamente com a realização de ensaios de caracterização e avaliação do desempenho e da durabilidade de materiais e produtos.

Para o desenvolvimento das diferentes vertentes da sua atividade, o NMO dispõe de um vasto conjunto de técnicas instrumentais de análise para a caracterização dos materiais sob o ponto de vista químico (métodos espetroscópicos por FTIR e técnicas de cromatografia em coluna e em camada fina) e para a determinação das propriedades mecânicas (impacto, compressão, tração, flexão), térmicas (TG, DSC, DMA, Tg) e reológicas. Dispõe ainda de meios para avaliação da emissão de compostos orgânicos voláteis (método da câmara, com quantificação por GC-MS).

Possui também diversos tipos de câmaras que permitem simular de modo acelerado o envelhecimento natural em estudos de durabilidade dos materiais (câmaras de nevoeiro salino, com dióxido de enxofre ou com diversos tipos de lâmpadas para simulação da radiação solar), que podem ser complementados por utilização de uma estação de exposição em ambiente natural urbano, que se encontra equipada com sistema de monitorização da radiação UV e global, temperatura e humidade relativa do ar.

O NMO tem adstrita a Unidade Operativa de Materiais Orgânicos para a Construção (UMOC), acreditada pelo IPAC, onde se realiza um vasto conjunto de ensaios de caracterização de tintas, vernizes, revestimentos por pintura, materiais para marcação rodoviária, termolacados, tubos e acessórios em material plástico, compósitos de matriz polimérica, betumes e emulsões betuminosas e de outros materiais e produtos orgânicos usados na indústria da construção.

Contando com uma equipa experiente, motivada e multidisciplinar, e enquadrando-se num departamento e numa instituição como o LNEC, o NMO insere-se num ambiente que favorece a sinergia de conhecimentos, experiências e meios que lhe permite manter simultaneamente abrangência e especificidade nas áreas da sua competência.