Campus

Inaugurado em 1952, o Campus do LNEC, que se estende ao longo de 22ha, desde a Avenida do Brasil até à 2ª Circular, é composto por um conjunto de edifícios, alguns de grande interesse arquitetónico, construídos em diferentes épocas, da autoria de nomes maiores da Arquitetura portuguesa, como Pardal Monteiro, autor do Edifício Arantes e Oliveira, Januário Godinho e João Andersen, autores do Edifício Calouste Gulbenkian (1962), entre outros. Os seus jardins, cujo projeto é da autoria dos arquitetos Gonçalo Ribeiro Telles e Fernão Vaz Pinto, contêm diversas espécies raras e exóticas, em grande parte identificadas. Em dezembro de 2012, o campus do LNEC foi classificado como Monumento de Interesse Público .

No âmbito das Comemorações dos 70 anos do LNEC,  foi desenvolvido um e-book sobre o seu campus.