Saltar para o conteúdo
Departamento de Barragens de Betão Departamento de Barragens de Betão

Resenha histórica

Pode afirmar-se que o conjunto de atividades do NO, discriminadas no texto da atual Lei Orgânica, têm sido exercidas desde a criação em 1947 do Laboratório de Engenharia Civil (LEC), depois designado Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

O LEC teve como embrião serviços originários do antigo Laboratório de Estudo e Ensaios de Materiais e do Centro de Estudos de Engenharia Civil, de constituição então recente no Instituto Superior Técnico. Pretendia-se dotar o País de um Laboratório oficial de Engenharia Civil, onde não apenas se fizesse o controlo de qualidade dos materiais utilizados nas construções, mas onde também se fizessem estudos e ensaios de apoio ao projeto e à avaliação do comportamento das obras, sendo que então estava a ser prevista a construção de importantes pontes e barragens.

Com efeito, no que respeita a estas últimas, tinham sido já construídas diversas barragens destinadas à rega, ao abastecimento urbano, à eletrificação, principalmente do âmbito local ou regional, mas previa-se a construção intensiva de grandes obras, com o objetivo de fazer o melhor aproveitamento de todo o potencial hídrico, e nomeadamente constituir uma grande rede de produção e distribuição de energia hidroelétrica, por forma a complementar a cobertura de todo o território nacional.

Para responder da melhor maneira aos seus objetivos, como atrás definidos, a estruturação das atividades do Laboratório baseou-se numa matriz cujo vetor principal se orientava para a resolução dos problemas específicos de cada tipo de obra, mas também condicionada pelo carácter disciplinar dos necessários estudos. De modo que, nos Serviços que se constituíram, foi desde logo criado um sector destinado a responder aos problemas postos pela construção de barragens, e nomeadamente das barragens de betão, já que a existência de fundações rochosas de boa qualidade e a natureza topográfica dos melhores locais permitia prever que as barragens a construir viessem a ser executadas com esse material.

E no referido sector, que veio a constituir o Serviço de Barragens, hoje com a designação de Departamento de Barragens de Betão (DBB), foram previstos estudos de caraterização de propriedades estruturais, quer das fundações, quer do corpo das barragens, estudos experimentais de análise estrutural e a observação do comportamento das obras, sendo que esta última atividade foi cometida inicialmente a duas Divisões, designadas Divisão de Medidas Geodésicas, que evoluiu para o atual Núcleo de Geodesia Aplicada, e Divisão (hoje Núcleo) de Observação (NO). Entre as atividades do Núcleo de Geodesia Aplicada (NGA) inclui-se o estudo de métodos de geodesia de posição, ou outros afins, da especialidade de engenharia geográfica, aplicados à determinação de deslocamentos de barragens e outras estruturas, com a precisão necessária à análise do seu comportamento; no Núcleo de Observação são feitos estudos de outros métodos para a determinação também de deslocamentos, e ainda de outras grandezas relevantes para a avaliação do comportamento das barragens e suas fundações, assim como os restantes outros estudos conducentes a essa avaliação, nomeadamente sobre metodologias de inspeção visual, de ensaios "in situ” para determinação de propriedades estruturais, de processamento e análise da informação e interpretação dos resultados, e a aplicação das metodologias a casos concretos, com base na elaboração de planos de observação, visando o progresso dos conhecimentos, a economia e o controlo de segurança das obras.

A atividade do NO faz-se frequentemente com a colaboração não só de outros sectores do DBB, nomeadamente, para além do NGA, o Núcleo de Modelação Matemática e Mecânica das Rochas, mas também de alguns sectores de outros Departamentos do LNEC, nomeadamente os Departamentos de Estruturas, de Materiais, de Hidráulica e Ambiente, e de Geotecnia, e ainda do Centro de Instrumentação Científica. O contexto desta colaboração é muito facilitado, dada a estrutura ideada para o LNEC desde a sua fundação, em que uma característica importante consistiu na reunião no mesmo organismo de diversos sectores relativos às diversas obras e disciplinas de Engenharia Civil, mas também relativos aos diferentes apoios que podem advir de outras Ciências, nomeadamente a Engenharia Mecânica, Engenharia Eletrotécnica e Informática, Engenharia Geográfica e Engenharia Química.

A criação do LNEC e o início da sua atividade no domínio da observação de barragens de betão são pois fruto de fatores ligados à situação e perspetivas de desenvolvimento do País na década de 50 e foi possível pelo concurso de investigadores e técnicos de elevada craveira, que souberam congregar equipas motivadas na realização das tarefas necessárias; são de referir, pelo impulso fundamental que deram ao prosseguimento da atividade de observação, os nomes do engenheiros Manuel Rocha, Laginha Serafim e António Ferreira da Silveira, em cujos currículos diversificados os estudos no domínio da observação de barragens são justamente de destacar.