Notícias

Ambiente Online: "Lisboa capital europeia do empreendedorismo no setor da água?"
2016-02-22
Ambiente Online


Com a anunciada e estimulante estratégia de desenvolvimento da cidade de Lisboa há que ponderar a importância que o setor da água pode aqui desempenhar.

 

Portugal é considerado internacionalmente um caso de sucesso nos serviços de água por ter implementado nas últimas décadas uma política pública que deu excelentes resultados para os cidadãos, a economia, a saúde pública e o meio ambiente.

 

O Congresso Mundial da Água da IWA organizado em Lisboa em 2014, em que participaram cerca de 5 000 especialistas de uma centena de países, foi considerado o melhor de sempre. Foi então proposta à IWA a Carta de Lisboa para as políticas públicas e regulação dos serviços de águas, hoje um documento de relevância internacional traduzido em diversas línguas e também adotado pelo conselho ministerial no Fórum Mundial da Água em 2015.

 

Por estas e outras razões Portugal pode aspirar a ser um centro de excelência internacionalmente reconhecido no setor da água, capaz de atrair os melhores especialistas mundiais, nacionais e estrangeiros. Esse centro deve ter um âmbito internacional e oferecer formação de alta qualidade aos profissionais da água de todo o mundo, desenvolver think tank e promover o empreendedorismo no setor da água. Será assim possível atrair e promover mais investigação e contratos internacionais, utilizar melhor os mecanismos de financiamento internacionais e melhorar a articulação entre a academia, a indústria e a sociedade.

 

E que procura haverá para essa iniciativa? Os 195 países de todo o mundo estão hoje confrontados com a necessidade de dar boa resposta às orientações internacionais no sector da água, nomeadamente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, a Declaração do Acesso à Água e ao Saneamento como Direitos Humanos e o recente Acordo de Paris sobre Alterações Climáticas, das Nações Unidas.

 

Adicionalmente o programa europeu Horizonte 2020 para investigação e inovação já afetou 500 milhões de euros para financiar micro, médias e pequenas empresas e nos próximos dois anos estarão disponíveis 740 milhões de euros. Não falta pois incentivo.

 

E Lisboa é a cidade certa para acolher este centro de excelência, um lugar magnífico para viver, trabalhar, estudar e criar emprego e riqueza. E é além disso o coração da Lusofonia, em que 267 milhões de pessoas estão unidas pelo idioma. Voltaremos ao tema.

 

Jaime Melo Baptista, engenheiro civil especializado em engenharia sanitária, é Investigador-Coordenador do LNEC e Presidente do Conselho Estratégico da PPA. É membro do conselho de administração e do conselho estratégico da IWA. Foi presidente da ERSAR (2003-2015), responsável pelo Departamento de Hidráulica (1990-2000) e pelo Núcleo de Hidráulica Sanitária (1980-1989) do LNEC, diretor da revista Ambiente 21 (2001-2003) e consultor. Foi distinguido com o IWA Award for Outstanding Contribution to Water Management and Science. O autor escreve, por opção, ao abrigo do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

« voltar